juciema de sa roriz2Todo mundo é médium, inclusive você!  (Parte 1)

Juciema de Sá Roriz

Aquela jovem despertou pela manhã com uma disposição diferente...

Podia ouvir os passarinhos fazendo algazarras nas folhagens de um pé de oitis, desses que ladeiam as calçadas da Praia do Flamengo.  Nada lhe doía; o corpo estava leve, a alma em paz. Recordava-se que, ao dormir na noite anterior, fizera uma prece, dessas que dá para sentir o contado de sua mente com aqueles que ela ama e que já partiram para a Pátria Espiritual.

Terá sido isso? A prece terá surtido tamanho efeito?

No dia anterior a cefaleia tinha lhe tirado do trabalho e ela se pôs, prostrada, a tarde inteira e parte da noite, na esperança de que os remédios que tomara fizessem algum efeito, mas qual... Vieram os enjoos caraterísticos do quadro clínico que já há 5 anos marcava presença em sua vida. Por último, cansada, sentou-se na cama e orou... orou com muito fervor, pedindo a Jesus a graça da saúde e do bem-estar, pois que ela, Espírito eterno e imorredouro, precisava do corpo para agir no mundo e cumprir seu programa evolutivo e compromissos assumidos na Espiritualidade.

Lembrava-se, ligeiramente, da sensação boa, que aos poucos ia lhe tomando o corpo e inundando a alma. Era como se ela volitasse ao redor de seu próprio corpo... Podia sentir, ainda, as marteladas da enxaqueca contra sua cabeça mas... não a incomodavam tanto quanto antes. Aos poucos, uma sensação de leveza foi-lhe tomando o corpo e a cabeça já não doía. 

Por quanto tempo ficou assim, como se navegando no éter, não saberia dizer – tudo ficou atemporal e nem mesmo o espaço existia. 

O sono lhe assomou toda a organização físico-mental e ela... adormeceu.

Agora, ante as reflexões do ocorrido, sorria, sentindo-se feliz, embora um pouco acabrunhada de ter sofrido tanto nas circunstâncias da mesma dor, sem ter-se lembrado do recurso da prece. Que tola tem sido!

“E tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis.” (Mateus 7:9 e 11:21:22)

“Toda prece pode ser definida como um apelo de nossa alma em ligação instantaneamente feita com o mundo espiritual, segundo os princípios de afinidade estabelecidos no intercâmbio mental “ – Estudando a mediunidade – Martins Peralva 

 “A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar Nele; é aproximar-se dele; é por-se em comunicação com Ele.” LE: Q.659

• Quando alguém resolve pedir, liberta-se dos grilhões do orgulho e abre-se, receptivo ao auxílio, tornando-se maleável à renovação, à conquista de outros valores de que necessita. • Joanna de Angelis (Evangelho à luz da psicologia profunda)

A prece torna o homem melhor? Sim, porque aquele que faz preces com fervor e confiança se torna mais forte contra as tentações do mal, e Deus lhe envia bons Espíritos para o assistir. É um socorro jamais recusado, quando o pedimos com sinceridade. (LE:660)

"Senhor, Ensina-nos a Orar" "De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos pediu; Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos" (Lucas 11:1).

 

E eu, aqui, ao descrever a experiência dessa jovem, fico pensando na beleza dessa faculdade que nos permite entrar em contato com os Espíritos amigos através da oração, das boas ações e dos bons pensamentos. 

Essa faculdade chama-se Mediunidade, e todos nós a possuímos, em menor ou maior grau.

Você é médium, sabia? – Não? – Agora já sabe. 

“Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos. Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns (...)” (Q 159 de O Livro dos Médiuns)

Mas nós vamos conversar mais sobre isso...  Aguarde.