Cauci de Sá Roriz

caucidesarorizEDUCAÇÃO COM JESUS

A obra Evolução em Dois Mundos, de André Luis/F.C.Xavier, 1ª parte, cap VI, item Genealogia do Espírito, nos dá uma espantosa informação:
...”o princípio inteligente gastou, desde os vírus e as bactérias das primeiras horas do protoplasma na Terra, mais ou menos quinze milhões de séculos, a fim de que pudesse, como ser pensante, embora em fase embrionária da razão, lançar as suas primeiras emissões de pensamento contínuo para os Espaços Cósmicos.”
Isso mesmo, nobre amigo. Não se espante. 1 bilhão e quinhentos milhões de anos são necessários, contados do estágio de vírus, para que o ser adquiria a capacidade dos primeiros pensamentos contínuos!

Quanto tempo demandaria, em média, desde a criação até a fase viral? E após a aquisição do pensamento contínuo até adquirir a condição de Espírito Puro, definido nas questões 112 e 113 de O Livro dos Espíritos?

Escapa-nos essa informação. Não a encontramos na literatura espírita. E há um detalhe neste período que torna toda e qualquer projeção mera especulação. Consta da imperdível obra Pensamento de Emmanuel, cap. 14, no qual o inesquecível autor, Martins Peralva, apresenta um gráfico revelado pelo amigo espiritual de Chico Xavier onde se visualiza toda a evolução do princípio espiritual. Ressalta-nos neste gráfico a nota feita por Emmanuel informando que não conhece o período anterior da fase mineral e a posterior a da angelitude.
Isso significa que.a criação do princípio espiritual acontece em um período anterior da fase mineral e prossegue além da de angelitude, períodos esses que Espíritos do nível de Emmanuel desconhecem.

As primeiras páginas da fabulosa obra A Caminho da Luz, Emmanuel, pelas mãos abençoadas de Francisco Cândido Xavier, informa que Jesus promove, realiza e acompanha o desenvolvimento da Vida na Terra desde a explosão do sol que gerou a Terra e os demais planetas, há 4,5 bilhões de anos.
Encontram-se, pois, sob a orientação do Cristo, desde os primórdios da existência, todos aqueles que realizaram seu processo evolutivo na Terra. Outros milhões, conforme capítulo III da obra A Caminho da Luz, expulsos de seu planeta de origem, vieram a se agrupar aos terráqueos com o objetivo de aperfeiçoar os caracteres biológicos da raça humana da Terra e contribuir para o avanço geral com o conhecimento que já amealhavam.
Não deixe, provável leitor, de consultar o capítulo III, item 14, de O Evangelho Segundo o Espiritismo.Ali consta informação substanciosa sobre os seres exóticos à Terra.

Neste breve artigo queremos apenas ressaltar que estamos todos (Capelinos, Terráqueos ou de outros orbes) os 22 bilhões de espíritos, entre encarnados e desencarnados, conforme nos esclarece a obra Roteiro, capítulo O Grande Educandário, Emmanuel/F.C.Xavier, submetidos a um longo processo educativo há milhões de séculos, sob a coordenação compassiva de Jesus.

Como oportunidade de alavancar o nosso progresso Jesus nos concedeu, nesta fase de nossa trajetória evolutiva, a honra de perfilharmos o Espiritismo, possibilitando-nos desenvolver a lógica, o entendimento, a razão, a sensibilidade.

Não se justificam mais adoção de atitudes exteriores e hipócritas, de fingimento de virtude, que servem apenas para enganar os desavisados mas nunca a nós próprios e a nossa consciência onde a Lei de Deus está escrita (L.E. 621) a nos lembrar de nosso compromisso com Aquele que nos ampara, promove e dirige há tanto tempo.

Que a orientação Kardeciana, inserida no capítulo 17, item 4, de O Evangelho Segundo o Espiritismo, seja efetivamente compreendida e praticada não apenas no âmbito da instituição espírita, mas em todo o lugar onde estivermos, em todas as situações e ocasiões: “Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empreende para vencer as suas más inclinações”.

Com o esforço evolutivo estaremos realizando justa e sincera homenagem Àquele que silenciosamente nos incentiva, conduz e aguarda o nosso caminhar.