Como a Comunicação Social Espírita irá cumprir seu papel regenerador frente às sociedades em geral?

Os desafios da comunicação social espírita estão postos a partir o momento em que aguçamos o nosso olhar sobre a urgente necessidade de usarmos essa grande ferramenta em favor da propagação do Bem.A todo instante somos assolados pelos grandes meios de comunicação de massa com informações que correspondem aos valores do mundo, que na maioria das vezes funcionam como difusores da cultura do materialismo.

Nesse contexto o comunicador espírita tem um grande compromisso: não medir esforços para que a mensagem esclarecedora e consoladora do Espiritismo esteja ao alcance e a serviço de todos no campo moral e espiritual.  Diapasão no qual a Comunicação Social Espírita deverá ser exercida : expressando a mesma potência da doutrina que busca traduzir.

Se o Espiritismo, conforme foi anunciado tem que determinar a transformação da humanidade, claro que esse efeito ele só poderá produzir, melhorando as massas, o que se verificará gradualmente, pouco a pouco, em consequência do aperfeiçoamento dos indivíduos.

 (Allan Kardec – O livro dos médiuns, cap. XXIX, it. 350).



Na Revista Espírita de 1858(pag.369/360), Allan Kardec, codificador da Doutrina Espírita utilizava-se de sua grande intuição e capacidade de projetar o futuro para afirmar : Podemos distinguir, na propagação do Espiritismo, quatro fases ou períodos distintos:

 1o O da curiosidade, no qual os Espíritos batedores hão desempenhado o papel principal

 para chamar a atenção e preparar os caminhos.

2o O da observação, no qual entramos, e que podemos chamar também de período filosófico.

O Espiritismo é aprofundado e se depura, tendendo à unidade de doutrina  e constituindo-se em Ciência.

Virão em seguida: 3o O período de admissão, no qual o Espiritismo ocupará  uma posição oficial entre as crenças oficialmente reconhecidas.

 4o O período da influência sobre a ordem social. A Humanidade, então sob a influência dessas idéias,entrará num novo caminho moral. Desde hoje essa influência é individual; mais tarde agirá sobre as massas, para a felicidade geral “

Assim o chamado para que os “ comunicadores espíritas” possam exercer exitosamente a influência sobre as massas passa não somente pelo exemplo de atitudes de verdadeiro cristão, mas também pela “ expertise” na “gestão do conteúdo”.

Não podemos estacionar no nível informativo da comunicação , e sim estender sua ação para um nível formador,que desperte sentimentos e que promova a moralização do Homem e das sociedades em geral.

Com essa finalidade, a Comunicação Social Espírita ,em caráter transversal ,

se soma e solidariza-se com outras áreas da seara da educação do Espírito para ressignificar, na atualidade, esforços significativos do passado.


Um mergulho na história ...

Relembrando um filósofo grego da antiguidade podemos afirmar que a sociabilidade faz parte da natureza humana. Aristóteles, discípulo de Platão defendia que , “ [...] a natureza social do homem manifesta-se na linguagem, isto é ,no lògos.O homem é um animal que fala, e falar é uma função social”( apud Dias 2004 ,p.7)

Ainda em um recorte histórico sobre a Antiguidade, quatro séculos antes do Cristo,veremos surgir na Itália a oratória,cujo primeiro manual escrito por Córax tinha uma causa nobre: defender  pessoas que desejavam reaver seus bens,levados por tiranos.

Por outro lado o desdobramento da oratória, a retórica, não ganhou orientação tão acertada.Conhecida arte do convencimento pela eloquência, tornou-se técnica de argumentação menos digna,pois não verificava a veracidade dos fatos.

Com esse rápido mergulho no passado,podemos afirmar,então,que a comunicação é um ato inerente à natureza humana ,o qual, pode estar ou não vinculado a um propósito nobre.


Os primeiros passos ...

Em 1857,o codificador Allan Kardec, lança O Livro dos Espíritos e a Doutrina Espírita descortina o véu entre o mundo material e o imaterial.

A Humanidade trava contato com a terceira grande revelação.

O tríplice aspecto da Doutrina dos Espíritos,passa a nortear as relações entre os dois planos da vida com um foco consolador e libertador .

Ciência,Filosofia e Religião,bases sólidas para o entendimento da trajetória do espírito imortal ,inundam não só a estrutura do pentateuco kardequiano como também ilustram a partir de 1858 as edições mensais da Revista Espírita.E, assim,tanto os livros espíritas de Allan Kardec como a Revista Espírita se configuram,a partir do século 19, meios clássicos de comunicação coletiva.



Nas terras do Cruzeiro...

No Brasil,O Echo d Além-túmulo,jornal lançado por Luiz Olímpio Teles de Menezes em 1869,registrou a primeira incursão do meio espírita brasileiro,no campo da Comunicação Social direcionada ao grande público.Dessa data aos dias atuais,surgiram inúmeras iniciativas,que permitiram ao comunicador espírita se familiarizar com os novos canais de comunicação e praticar a divulgação doutrinária em consonância com a evolução das novas tecnologias.

Por todos os rincões da terra de Ismael ,instituições espíritas dos mais variados matizes e tamanhos criaram vínculos com tarefeiros,movimento espírita unificado e público em geral .

Nessa estrutura de relação em REDE, a Comunicação Social Espírita traz a intrínseca responsabilidade sobre o conteúdo que apresenta.

Comunicar implica em responsabilidade ,não apenas doutrinária,mas também legal e ética.

Por essa razão,todos que se candidatam à “ Comunicação para a Nova Era “ precisam conhecer os princípios,diretrizes,normas e leis que norteiam esses procedimentos,em relação,ao conteúdo,e à forma.

Acreditamos que,para a completude exitosa dessa ação são necessárias 3 funções básicas :


Toda ação de Comunicação Social Espírita,independente de sua forma de expressão e do público a que se destine,deve refletir o amor e a verdade que estão contidos na Doutrina Espírita.

Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo. No Cristianismo se encontram todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram. (Allan Kardec. O evangelho segundo o espiritismo. O Espírito de Verdade, Paris,1862).

 acse funcoes

Função Evangelizadora

Qual a importância da palavra humana para as conquistas evolutivas do Espírito?

“A palavra é dom divino, quando acompanhada dos atos que a testemunhem: e é através de seus caracteres falados e escritos que o homem recebe o patrimônio de experiências sagradas de quantos o antecederam no mecanismo evolutivo das civilizações. É por intermédio de seus poderes que se transmite, de gerações a gerações, o fogo divino do progresso na escola abençoada da Terra”. (Francisco Cândido Xavier. O consolador. 24. ed., 2003, p. 80).

Ainda sobre a funçãoevangelizadora da Comunicação Social Espírita podemos afirmar que,independente do grau de informação e persuasão apresentada pela mensagem, ela deve revestir-se de equilíbrio e harmonia, visando contribuir, efetivamente, para esclarecer, consolar e orientar.

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.(Paulo — Efésios, 4:29).

Essa ação, portanto,deve caracterizar-se pelo firme propósito de promover a Doutrina Espírita,sua mensagem,seus princípios e seus benefícios,sem a preocupação de destaque para a pessoa que a promove.

“ É necessário que Ele cresça e que eu diminua.”( João Batista- João,3:30)


Função Midiática

É a partir dessa função que o comunicador espírita faz a seleção de veículos,bem como da forma de utilizá-los.

Deve-se ,contudo, observar os aspectos éticos,legais e técnicos para refletir,em qualidade e natureza,o mesmo nível elevado dos objetivos colimados.

Se porventura houver necessidade de eventual patrocínio para sustentação econômica da atividade,esse apoio não deverá,em hipótese alguma,gerar qualquer subordinação à instituição promotora ou atividade em si.

“ Todas as coisas me são lícitas,mas nem todas me convêm” ( Paulo-I Coríntios,6:12)

Função Integradora

No âmbito da perpetuação de ideias,da linguagem que une revelando proximidade e ressonância de propósitos,talfunção da Comunicação Social Espírita é o grande dínamo que vivifica o Movimento Espírita.

Com o intuito de proporcionar unidade,e evitar a uniformidade,a Comunicação Social Espírita devesempre refletir uma postura dialógica e expositiva e nunca impositiva, respeitando-se tanto o princípio de liberdade que a Doutrina Espírita preconiza, como também o público a que se destina ,cujas faixas de interesse e motivação que não podem ser violentadas.

Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. (Jesus — Marcos, 8:34).

 
Entendemos que a Comunicação Social Espírita é a ferramenta capaz de dar cumprimento  aos objetivos da própia Doutrina Espírita,traduzindo reflexões baseadas na fé raciocinada que promovem o aperfeiçoamento moral e intelectual do Homem.

Bem executada logra adequar  à mensagem da codificação espírita, aos efeitos benfazejos da Boa Nova.

Simultaneamente à gestão de conteúdo,organiza os meios de transmissão , otimizando os canais e também cuida da forma ,revestindo a preciosa informação com roupagem capaz de emocionar.Seu alvo é a produção de sentimentos salutares que facultem a introjeção da mensagem renovadora.

Em suma, comunicar de forma exitosa é sensibilizar,alterando o patamar informativo que apenas promove a compreensão da mensagem para um estágio seguinte que é a introjeção dessa mesma mensagem.


Espera-se completude do processo comunicativo espírita.Uma jornada que estimule as aventuras da inteligência em direção ao repositório do coração.

Não mais apenas o superficial entendimento do cérebro mas o necessário acolhimento das idéias junto às fibras do coração, ensejando novos sentimentos e renovadas atitudes.


Ide, pois, e levai a palavra divina:

aos grandes que a desprezarão, aos eruditos que exigirão provas, aos pequenos e simples que a aceitarão; porque, principalmente entre os mártires do trabalho, desta provação

terrena,encontrareis fervor e Fé .”

Ide; estes receberão, com hinos de gratidão e louvores a Deus, a santa consolação que lhes levareis, e baixarão a fronte, rendendo-lhe graças pelas aflições que a Terra lhes destina.

Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! o arado está pronto; a terra espera; arai! “

( Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap.20 item 4).



Ninguém acende uma candeia para pô-la debaixo do alqueire;põe-na,ao contrário,

Sobre o candeeiro,a fim de que ilumine a todos os que estão na casa.

( Jesus- Mateus,5:15)